Aprenda qual a hora de trocar a escova de dente

Estudo divulgado pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts aponta que a escova de dente é considerada a invenção mais importante da humanidade. No Brasil, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), o consumo de escovas dentais tem aumentado continuamente ao longo dos anos. Para acompanhar esse cenário, a indústria oferece os mais variados modelos de escova. No momento de compra, o consumidor precisa fazer pelo menos três escolhas: cerdas duras, médias ou macias; cabeça grande ou pequena e cabos emborrachados ou de plástico. O professor, mestre e doutor em Odontologia da Anhanguera UNIBAN, Dr. Hugo Lewgoy, explica que a cabeça não pode ser grande porque fica mais difícil alcançar os dentes posteriores. Já as cerdas devem ser ultramacias e em grande quantidade. “É como se pegássemos uma vassoura com cerdas duras e varrêssemos um chão com piso branco e brilhante, certamente, ao longo do tempo, ele perderá o brilho e surgirão alguns riscos”, diz o dentista. Dicas do Dr. Hugo Lewgoy 1. Prefira escovas com cabos lisos. As borrachas nos cabos podem colaborar para acumular sujeiras e proliferar bactérias; 2. As escovas que possuem tampa acrílica da cabeça conservam as cerdas. Estes protetores também são muito úteis para levar a escova dentro de bolsas, malas, pastas para evitar o contato das cerdas com dinheiro, carteira e outros objetos; 3. Recomenda-se trocar de escova a cada três meses; 4. Antes de se iniciar a higiene oral, as mãos e unhas devem ser muito bem lavadas e esfregadas com água e sabão; 5. Um bochecho com água para eliminar resíduos de alimentos deve ser realizado, pois isto diminui a chance da comida ficar presa entre as cerdas e sofrer uma decomposição posterior. Fonte: Portal Terra

  Galeria de Fotos (clique sobre as fotos para aumentá-las):